???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1314
Tipo do documento: Dissertação
Título: Criatividade e inovação nas organizações: uma crítica a literatura do management pela abordagem político-econômica
Autor: Frederico, Ronaldo 
Primeiro orientador: Amorim, Maria Cristina Sanches
Resumo: Este trabalho tem por objetivo analisar a criatividade e inovação nas organizações como foco privilegiado do controle sobre a força de trabalho quando se trata da produtividade do trabalhador não repetitivo. Pretendendose um ensaio teórico e exploratório, a metodologia consistiu na crítica de parte da bibliografia voltada para o management, segundo a qual, autonomia e liberdade são bases para a criatividade. Por meio do estudo e revisão bibliográfica sobre as abordagens históricas da criatividade e alguns trabalhos existentes sobre inovação, o autor lança mão da literatura schumpeteriana e marxista e suas interlocuções com Weber, Foucault e Gorz para uma análise da criatividade e inovação nas empresas capitalistas. A criatividade, característica da força de trabalho, e a inovação, como resultado da produção de bens e serviços com valor mercadológico, são imprescindíveis para a acumulação capitalista. A criatividade é imaterial, não mensurável em termos de trocas relativas, enquanto que a inovação assume a forma de processos e produtos. As organizações focam na inovação, definida neste trabalho como criatividade transformada em forma de mercadoria, e desenvolvem controles crescentemente intensos, nas intermináveis relações de poder e contra-poder. Sistemas de recompensa e avaliação por desempenho são exemplos de métodos para evitar o desperdício de esforços e investimentos nas linhas de inovação. Motivação e prazer, base subjetiva para a cooperação e produtividade em altos níveis, também são necessários para a apropriação da criatividade da força de trabalho. Dito de outra forma, a alienação também conta. Uma pesquisa por amostragem com executivos de alto escalão ilustra as análises existentes neste trabalho e aproxima a teoria da prática de nossas empresas. As considerações finais apontam que enquanto aumenta a taxa de inovação, são ampliados simultaneamente a dominação e a subsunção do capital sobre o trabalho, a alienação dos ditos executivos e o acirramento da ética individualista, com sérias conseqüências para a sociedade
Abstract: This work aims to examine the creativity and innovation in the capitalist organizations as the prime focus of control over the workforce when it comes to non-repeatable worker productivity. Wishing to be a theoretical and exploratory academic essay, the methodology used was the criticism about part of the management literature, according to which, autonomy and freedom are the basis for creativity. Through the bibliography research and review about historical approach of creativity and some works and existing papers about innovation, the author makes use of schumpeterian and marxist literature and with their interlocution with Weber, Foucault and Gorz for the creativity and innovation analysis in the capitalist corporations. The creativity, a characteristic of the workforce, and the innovation, as the result of goods and services production with marketing value, are essential to the capitalist accumulation. Creativity is immaterial, not measurable in terms of relative trades, while the innovation assumes the form of processes and products. The organizations focus on the innovation, defined in this work as creativity transformed in the form of goods, and develop controls increasingly intense, in the endless relations of power and counter-power. Performance evaluations and reward systems are examples of methods to avoid the waste of efforts and investments in "lines" of innovation. Motivation and pleasure, subjective basis for cooperation and productivity at high levels, are also required for the appropriation of the workforce creativity. In other words, the alienation also counts. A sample research of high-level executives from companies of various industries illustrates the analyses in this work and brings the theory and practice together. The final considerations point that while increasing the rate of innovation, are simultaneously expanded the domination and subsuntion of labour to the capital, the alienation of such "executives" and the incitement of individualistic ethics, with serious consequences to the society
Palavras-chave: Criatividade
Inovação
Economia política
Creativity
Innovation
Political economy
Criticism
Management
Criatividade
Desenvolvimento organizacional
Economia
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Administração
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração
Citação: Frederico, Ronaldo. Criatividade e inovação nas organizações: uma crítica a literatura do management pela abordagem político-econômica. 2008. 136 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1314
Data de defesa: 18-Nov-2008
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ronaldo Frederico.pdf612,93 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.