???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12426
Tipo do documento: Dissertação
Título: Velhice: complexa idade - o paradigma da complexidade e sua importância para o campo da gerontologia
Autor: Neves, Suhaila Ahmad Harati das 
Primeiro orientador: Fonseca, Suzana Carielo da
Resumo: A Gerontologia é reconhecida como um campo interdisciplinar de conhecimento porque, em prol de seu objeto eleito (o processo de envelhecimento e a velhice do ser humano), ela se compromete com a articulação teórico-metodológica de saberes constituídos em diversos campos disciplinares. Tendo em vista tratar-se de um processo e de uma condição humana é que, no primeiro capítulo, eu discuti os fundamentos do Paradigma da Complexidade. Afinal, se afirmar que o ser humano é complexo não é algo propriamente estranho, enfrentar a complexidade que nele está em causa parece se apresentar, ainda, como tarefa altamente desafiadora para aqueles que se dispõe a fazê-la. Razão suficiente (pelo menos para mim, nesta dissertação) para trazer à luz certo modo de ver/ler o humano, representado aqui por Morin (1951; 1973; 1986; 1990; 1994; 1999; 2000). Suas proposições foram debatidas à luz da necessidade (que os campos científicos reconhecem) de se atingir um conhecimento pertinente sobre um determinado fato ou fenômeno. Ao discutir os fundamentos do Paradigma da Complexidade, cheguei a uma primeira conclusão sobre sua pertinência para a teorização que se desenvolve no campo da Gerontologia. No segundo capítulo, me debrucei sobre as distinções teórico-metodológicas entre multi, inter e transdisciplinaridade, com o objetivo específico de identificar a pertinência de articulação de cada uma destas abordagens com o referido Paradigma da Complexidade. Além de Morin, outros autores foram consultados (Clotet 2007; Etges 1995; Feriott 2007; Ferraro e Chan 1997; Mora 1998; Severino 1995; Silva 2007; Pádua 2008; Teixeira, 2007) . O que se esclareceu para mim foi que a transdisciplinaridade é o que o filósofo considera a abordagem mais adequada à proposição eixo que orienta o Paradigma, qual seja, Complexus significa o que foi tecido junto (MORIN, 1999, p.38). Nesse terceiro capítulo, coloco em tela teorizações realizadas no campo da Gerontologia para encaminhar uma reflexão cujo objetivo é concluir sobre se o Paradigma da Complexidade pode (e como) contribuir para a construção de um conhecimento pertinente sobre um processo e uma condição, quando eles especificamente fazem referência ao humano. Além disso, procuro identificar se, neste campo, a transdisciplinaridade é invocada - e quais são as justificativas para tal - como abordagem teórico-metodológica mais condizente com o Paradigma antes referido. Concluo, assinalando que o Paradigma da Complexidade, em seus desdobramentos teórico-metodológicos, pode se constituir um espaço de filiação para a construção de uma teorização original (transdisciplinar), consistente e pertinente no campo da Gerontologia. Original e consistente porque metodologicamente afinada com a complexidade inerente ao objeto a ser investigado e pertinente porque propiciadora de abertura de espaço para orientar ações/condutas que atendam as demandas específicas do segmento populacional idoso, base para a construção de um novo perfil profissional
Abstract: As Gerontology is recognized as an interdisciplinary field of knowledge, due to its object (the human being aging process and old age), it is committed to a theoretical and methodological articulation of knowledges constituted in many disciplinary fields. Being a process as well as a human condition, I discussed the Complexity Paradigm principles in the first chapter. After all, stating the human being is complex is not exactly new. Facing the complexity at issue seems to be a challenge for those willing to do so. Reason enough (at least for me, in this dissertation) to bring to light a way of seeing / reading the human being, herein represented by Morin (1951, 1973, 1986, 1990, 1994, 1999, 2000). His propositions were discussed in light of the need (recognized by scientific fields) to attain some "relevant" knowledge about a fact or a phenomenon in particular. Discussing the Complexity Paradigm principles, I have come to a first conclusion on its relevance to the theorization developed in the field of Gerontology. In the second chapter, I focused on the theoretical and methodological distinctions between multi-, inter-and transdisciplinarity, aiming at identifying how relevant the articulation of each of these approaches with said Complexity Paradigm is. Besides Morin, other authors have been referred to (Clotet 2007; Etges 1995; Feriott 2007; Ferraro and Chan 1997; Mora 1998; Severino 1995, Silva 2007; Padua 2008; Teixeira, 2007). Further clarification has been given to me of transdisciplinarity as being what the philosopher considers the most appropriate approach guiding the Paradigm, that is, Complexus means what has been woven together (MORIN, 1999, p.38). In the third chapter, I bring up some theorization developed in Gerontology so as to forward a reflection on whether the Complexity Paradigm can (and how) contribute to the construction of a relevant knowledge of a process and a condition specifically when human beings are at issue. Besides, I try to identify if, in this field, transdisciplinarity is cited - and what the reasons to do so are - as it is the most theoretical and methodological approach in line with the Paradigm aforementioned. I conclude by pointing out that the Complexity Paradigm, in so far as its theoretical and methodological developments are concerned, may constitute a space of affiliation to build an original (transdisciplinary), consistent and relevant theorization in the Gerontology field. Original and consistent because it is methodologically attuned to the inherent complexity of the object being investigated and relevant because it provides room to guide actions / behaviors that meet the specific demands of the elderly population segment, the basis for the construction of a new professional profile
Palavras-chave: Complexidade
Velhice
Envelhecimento
Gerontologia
Complexity
Old age
Aging
Gerontology
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL::SERVICO SOCIAL APLICADO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Gerontologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia
Citação: Neves, Suhaila Ahmad Harati das. Velhice: complexa idade - o paradigma da complexidade e sua importância para o campo da gerontologia. 2013. 81 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12426
Data de defesa: 30-Apr-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Suhaila Ahmad Harati das Neves.pdf596,71 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.