???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11991
Tipo do documento: Tese
Título: Fonoaudiologia e saúde mental: atuação do fonoaudiólogo nos Centros de Atenção Psicossocial do Estado de São Paulo
Título(s) alternativo(s): Speech language and hearing sciences and mental health: speech- Language pathology practice at the psychosocial attention centers of the State of São Paulo
Autor: Almeida, Beatriz Paiva Bueno de 
Primeiro orientador: Cunha, Maria Claudia
Resumo: objetivos: mapear a presença e caracterizar o perfil dos fonoaudiólogos das equipes interdisciplinares nos Centros de Atenção Psicossociais do Estado de São Paulo CAPS (estudo 1) e analisar e descrever a atuação dos fonoaudiólogos nos CAPS do estado de São Paulo (estudo 2). O método do estudo 1 de natureza quantitativa descritiva teve como casuística 20 CAPS do estado de São Paulo e 24 fonoaudiólogos que atuam nos CAPS de São Paulo, tendo como procedimento o mapeamento de todos os CAPS do estado de São Paulo e a identificação dos CAPS onde o fonoaudiólogo fazia parte da equipe interdisciplinar. Na sequência, após a autorização dos gestores ou órgãos responsáveis foi aplicado questionário com questões sobre a caracterização do perfil dos fonoaudiólogos. Os resultados foram analisados por meio de tratamento estatístico. O método do estudo 2 de natureza qualitativa e descritiva teve como casuística 24 fonoaudiólogos que atuam nos CAPS do estado de São Paulo e como procedimento a autorização dos gestores ou órgãos responsáveis e, a seguir, a realização de entrevistas semiestruturadas com os fonoaudiólogos. A análise dos resultados ocorreu por meio de categorias de conteúdo definidas à posteriori. Resultados: A maior parte dos fonoaudiólogos atua nos CAPS tipo infantil. A média de idade dos entrevistados é de 41,6 anos, o tempo médio de graduação de 19, 3 anos. A maioria dos entrevistados cursou pós-graduações de diferentes modalidades. Em relação ao início das atividades profissionais destes profissionais nos CAPS, a maioria relatou não ter conhecimentos prévios sobre saúde mental e ter aprendido sobre o serviço no próprio cotidiano de trabalho. Quanto ao tipo de atendimento realizado, a maioria faz trabalho tanto individualizado, quanto em grupo. A tese aponta para o fato de que, embora a reforma psiquiátrica preconize o atendimento interdisciplinar, o que inclui a atuação fonoaudiológica nestes serviços de saúde, a presença do fonoaudiólogo é ainda muito restrita quantitativamente. Observa-se que a inserção do fonoaudiólogo atualmente é realizada em grande parte nos CAPS infantojuvenis, porém já se observa sua inserção em CAPS com atendimento adulto, marcando a abertura da área para estes profissionais. Dentre as demandas dos sujeitos com transtornos mentais, os problemas de linguagem convocam, prioritariamente, o fonoaudiólogo a contribuir com sua especificidade nas equipes dos CAPS. Conclusão: Diante dos resultados obtidos, pode-se observar que a inserção/atuação dos fonoaudiólogos nos CAPS do estado de São Paulo não é efetiva, sendo, ainda, muito restrita quantitativamente e realizada em grande parte nos CAPS infantojuvenis. Sugere-se que os currículos de graduação em Fonoaudiologia invistam na formação acadêmica destes profissionais, propiciando a aquisição de conhecimentos e experiências práticas no campo da saúde pública de maneira geral, bem como na saúde mental em particular, com vista a contribuir para a promoção, inserção e atuação mais efetiva do fonoaudiólogo nestes serviços
Abstract: This research is composed by two studies with the following purposes: to map the presence and characterize the profile of Speech-Language Pathologists and Audiologists in the interdisciplinary teams of the Psychosocial Care Units of the State of São Paulo (CAPS) (study 1) and to analyze and describe the work of Speech- Language Pathologists at the CAPS in the state of São Paulo (study 2). The method of study 1 was quantitative and descriptive and included 20 CAPS from the state of São Paulo and 24 Speech-Language Pathologists who work at these CAPS. The procedure was the mapping of all CAPS in the state of São Paulo and the identification of the CAPS units where the Speech-Language Pathologist was part of the interdisciplinary team. Then, after approval from the coordinator or responsible institutions, a questionnaire was completed, containing questions about the Speech-Language Pathologists profile characterization. The results were analyzed with statistical treatment. Study 2 s method was qualitative and descriptive and included 24 Speech- Language Pathologists working at the CAPS in the state of São Paulo. The procedure included semi-structured interviews with the Speech-Language Pathologists, conducted after approval from coordinators or responsible institutions. The data were analyzed using categories defined after the interview procedure. Results: Most Speech-Language Pathologists work in childhood CAPS. The mean age of the subjects is 414.6 years and mean time of graduation is 19.3 years. The majority of interviewed Speech-Language Pathologists went to different kinds of Graduate school. Regarding the beginning of their professional activities at the CAPS, most reported not having previous knowledge about mental health and having learned about the job in their daily lives at work. Regarding the type of assistance, most perform both individual and group assistance. The thesis points to the fact that even though psychiatric reformation ensures interdisciplinary treatment, including Speech-Language Pathology in these healthcare services, the presence of Speech-Language Pathologists is still very small in numbers. This professional s insertion currently takes place in greater scale in childhood and adolescent care CAPS, but their insertion in adult care CAPS has also been observed, showing that the field is also open for these professionals. Among the demands of subjects with mental disorders, Language problems give the Speech- Language Pathologists priorities in contributing with their field specificities in the teams at the CAPS. Conclusion: The findings show that the insertion/work of the Speech- Language Pathologists at the CAPS of the state of São Paulo is not effective and is very small in numbers, occurring mostly in childhood and adolescent care CAPS. A suggestion is that the curriculums of Speech-Language Pathology programs invest in these professionals academic education, providing the acquisition of knowledge and practical experiences in the field of public health in general, as well as mental health in particular, aiming to contribute to the promotion, insertion and more effective work of Speech-Language Pathologists in these services
Palavras-chave: Saúde mental
Transtornos mentais
Linguagem
Centros de Atenção Psicossocial do Estado de São Paulo
Speech
Language and hearing sciences
Mental health
Mental disorders
Language
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11991
Data de defesa: 29-Jul-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Beatriz Paiva Bueno de Almeida.pdf2,61 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.