???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11969
Tipo do documento: Dissertação
Título: Expressividade da fala de executivos: análise de aspectos perceptivos e acústicos da dinâmica vocal
Autor: Serrano-Marquezin, Daniela Maria Santos 
Primeiro orientador: Ferreira, Léslie Piccolloto
Resumo: Introdução: profissionais executivos buscam, atualmente, um diferencial competitivo, o qual pode ser alcançado pelo uso efetivo dos recursos de expressividade da fala, no que se refere a impressionar, convencer e transmitir segurança. Objetivo: analisar características de expressividade da fala de um grupo de executivos a partir de dados perceptivos e acústicos da dinâmica vocal. Método: participaram da pesquisa quatro sujeitos (S1, S2, S3 e S4), executivos, do gênero masculino. Para coleta de dados foram realizadas: aplicação do teste Kingdomality para obtenção dos descritores - convincente/não convincente, objetivo/não objetivo, empático/não empático e seguro/inseguro e gravação que se constituiu de amostras de fala. Foi selecionado um trecho referente a uma frase de convencimento. E realizadas as avaliações: perceptivoauditiva para caracterização da qualidade vocal e da dinâmica da voz, por três fonoaudiólogos juízes; perceptivoauditiva para julgamento sobre as impressões causadas pela expressividade da fala quanto aos descritores, realizada por 30 juízes leigos; acústica da fala, para avaliação de elementos prosódicos como medidas de f0 (f0 mínimo, f0 máximo e extensão de f0), medidas de duração (unidades vogal a vogal e taxa de elocução), taxa de articulação e pausas, com a utilização do software Praat. Realizou-se análise estatística para definição de diferenças significativas. Resultados: S1 apresentou qualidade vocal adequada, articulação precisa e ressonância laringofaringea; pitch habitual abaixado; taxa de elocução lenta e suporte respiratório inadequado; uso inadequado de pausas; apresentou maior rejeição, pois foi apontado como inseguro, não objetivo, não empático e não convincente; S2 apresentou qualidade vocal adequada, articulação precisa e ressonância equilibrada; pitch habitual neutro e suporte respiratório adequado; apresentou valor representativo de maior variação de f0; valores considerados médios para as taxas de elocução e articulação; uso mais regular de pausas e foi considerado seguro, pouco objetivo, empático e convincente; S3 apresentou qualidade vocal adequada, articulação precisa e ressonância laringofaringea; pitch habitual abaixado e suporte respiratório inadequado; valores considerados médios para as taxas de elocução e articulação; pausas com intervalos mais regulares e apontado como seguro, objetivo, empático, e convincente; S4 apresentou qualidade vocal adequada, articulação precisa e ressonância equilibrada; pitch habitual abaixado e suporte respiratório inadequado; valor indicativo de menor variação de f0; valores considerados médios para as taxas de elocução e articulação; uso adequado das pausas; recebeu maior pontuação, sendo avaliado como o mais seguro, objetivo, empático e convincente. Conclusão: Com relação à dinâmica vocal, dois sujeitos mereceram destaque: um, de forma positiva, pois ao utilizar adequadamente os recursos prosódicos, transmitiu segurança, foi considerado objetivo, empático e convincente; e outro, de forma negativa, pois os recursos utilizados não foram efetivos, uma vez que com a realização de quebras dos grupos prosódicos, não transmitiu segurança, foi apontado como pouco objetivo, não empático e não convincente
Abstract: Introduction: today s executive professionals look for a competitive differential, which can be reached by effectively using speech expressivity resources to impress, convince and convey confidence to listeners. Objective: to analyze the speech expressivity features of a group of executives based on perceptive and acoustics aspects of vocal dynamics. Method: four male executives took part in the research study, identified as subjects (S1, S2, S3 and S4). Data collection comprised the application of Kingdomality test to attain descriptors - convincing/not convincing, objective/not objective, empathic/not empathic and confident/insecure. We also worked with recordings of speech samples. The excerpts selected were based on an argument to convincement. Assessments conducted included perceptive auditive assessment to characterize vocal quality and dynamics, performed by three speech therapist judges; perceptive-auditive assessment to judge the impressions caused by speech expressivity with regard to the descriptors selected, performed by 30 lay judges; and speech acoustics to assess prosodic elements such as f0 measures (minimum and maximum f0 and f0 extension), duration measures (vowel to vowel units and elocution times), articulation times, and pauses. Praat was the software used. We also conducted a statistical analysis to define significant differences. Results: S1 showed adequate vocal quality, precise articulation and laryngealpharyngeal resonance; lowered regular pitch; slow elocution time and inadequate respiratory support and inadequate use of pauses. This subject had the highest rejection, because he was found to be insecure, not objective, not empathic and not convincing. S2 showed adequate vocal quality, precise articulation and balanced resonance; neutral regular pitch and adequate respiratory support. The subject showed representative value of higher f0 variation; values considered average for elocution and articulation times; more regular use of pauses and was considered confident, little objective, empathic and convincing. S3 showed adequate vocal quality, precise articulation and laryngeal-pharyngeal resonance; lowered regular pitch and inadequate respiratory support; values considered average for elocution and articulation times; and pauses with more regular intervals. The subject was found to be confident, objective, empathic, and convincing. S4 showed suitable vocal quality, precise articulation and balanced resonance; lowered regular pitch and inadequate respiratory support; indicative value of lower f0 variation; values considered average for elocution and articulation times; and adequate use of pauses. This subject received the highest scores, being assessed as the most confident, objective, empathic and convincing. Conclusion: With regard to vocal dynamics, two subjects stood out from the others: one, in a positive manner, since he was able to convey confidence by using prosodic resources suitably. He was thus considered objective, emphatic and convincing. The other stood out in a negative manner, since the resources used were not effective. By breaking prosodic groups apart, the subject was not able to convey confidence. The subject was found to be little objective, not emphatic and not convincing
Palavras-chave: Voz
Treinamento da voz
Fala
Acústica da fala
Comunicação
Voice
Voice training
Speech
Speech acoustics
Communication
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Serrano-Marquezin, Daniela Maria Santos. Expressividade da fala de executivos: análise de aspectos perceptivos e acústicos da dinâmica vocal. 2013. 100 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11969
Data de defesa: 30-Aug-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniela Maria Santos Serrano-Marquezin.pdf2,51 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.