???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11934
Tipo do documento: Dissertação
Título: Voz do professor: relação entre avaliação perceptivo - auditiva, autorreferência a sintomas e índice de desvantagem vocal
Autor: Mestre, Lhaís Renata 
Primeiro orientador: Ferreira, Léslie Piccolloto
Resumo: A falta de conhecimento dos docentes sobre alteração vocal é pontuada na literatura fonoaudiológica com frequência. Os professores não identificam problemas vocais e procuram ajuda, apenas quando o distúrbio alcançou seu grau máximo. Objetivo: Relacionar a presença de distúrbio de voz (avaliação perceptivo-auditiva) e a autorreferência a sintomas vocais, sensações laringofaríngeas e o índice de desvantagem vocal em professores. Método: foi realizado um estudo com 40 professores (educação infantil I,II,III, ensino fundamental e médio) de uma escola particular localizada no interior do estado de São Paulo. Os participantes responderam os questionários Condição de Produção Vocal-Professor (CPV-P) (para levantar aspectos sociodemográficos, sintomas e sensações laringofaríngeas) e o Índice de Desvantagem Vocal (IDV) (para conhecer o impacto do distúrbio de voz na vida dos professores). Na sequência do preenchimento dos questionários foi realizada coleta de amostra de fala de cada um dos 40 professores para ser analisada posteriormente por juízes fonoaudiólogos. Foi solicitado a cada professor que emitisse, em tom habitual de fala, as vogais /a/ e /i/ sustentadas, fala espontânea (solicitado que contasse como foi o seu final de semana e simulasse uma aula) e uma amostra de fala encadeada com os meses do ano. O tempo para essa coleta foi de 15 a 20 minutos. Esse material foi editado considerando a adição de mais 20% na amostra das 40 vozes (total 48 vozes) para ser submetido à avaliação perceptivo-auditiva por três juízas fonoaudiólogas com especialização na área de voz, de no mínimo cinco anos, que não conheciam a população pesquisada. A avaliação da juíza com maior consistência interna foi considerada, para compor dois grupos: com e sem distúrbio de voz. Após análise estatística descritiva, a variável ter distúrbio de voz foi associada às variáveis idade, sexo, estado civil, escolaridade, vínculo, tempo de profissão e horas trabalhadas, assim como sintomas vocais e sensações laringofaringeas (CPV-P), escore total, por domínio e por questão do IDV. Para tal foi utilizado o teste de qui-quadrado com nível de significância menor que 0,05%. Resultados: na comparação entre os grupos não foi encontrada diferença estatisticamente significativa quando as variáveis sociodemográficas foram analisadas. A autorreferência a rouquidão diferenciou os grupos (p=0,011) assim como as sensações laringofaríngeas referentes ao esforço ao falar (p< 0,001) e ardor na garganta (p<0, 001). Todos os domínios do IDV, assim como seu escore total também diferenciaram os grupos (p<0, 001). Quando as questões de cada domínio foram analisadas, 13 das 30 questões diferenciaram os grupos em maior número as pertencentes ao domínio orgânico. Conclusão: Houve associação estatística significativa entre a presença de distúrbio de voz e o sintoma vocal de rouquidão, e as sensações laringofaríngeas de esforço ao falar e ardor na garganta, e o escore geral, assim como o referente aos domínios funcional, orgânico e emocional, do Índice de Desvantagem Vocal
Abstract: Teachers lack of knowledge about voice disorders is frequently pointed out in Speech-Language Pathology literature. Teachers do not identify vocal issues and seek assistance only when the disorder is extremely pronounced. Aim: To relate the presence of voice disorder (auditory perceptual analysis), self-reported vocal symptoms and laryngeal sensations and the voice handicap index in teachers. Method: This study was conducted with 40 teachers (elementary, middle and high school) of a private school located in a city of the state of São Paulo. The subjects answered the Teacher Vocal Production Conditions (CPV-P) questionnaire (in order to assess social-demographic aspects, voice symptoms and laryngeal sensations) as well as the Voice Handicap Index (VHI) (to know the impact of voice disorder in the lives of the teachers). After questionnaire completion, speech samples were collected from each of the 40 teachers in order for Speech-Language Pathology assessment. Each teacher was asked to say a sustained vowel /a/ and /i/, and the months of the year. A sample of spontaneous speech (regarding a retelling of their weekend and a class simulation) was also recorded. This procedure took 15 to 20 minutes. The material was edited and 20% of speech samples were added to the original 40 voice samples (total 48 recordings) so that three Speech-Language Pathologist judges could analyze the material. The judges were specialized in voice pathology, had a minimum of five years experience and did not know the studied population. The evaluation performed by the judge with the greatest internal consistency was used to compose two groups: with and without voice disorder. After a descriptive statistical analysis, voice disorder was associated to the variables age, sex, marital state, schooling, type of employment, years of teaching and number of hours worked per week, as well as to voice symptoms and laryngeal sensations (CPV-P), total VHI score and score of each domain and question. The chi-square test was used for this purpose, with level of significance lower than 0.05%. Results: In the comparison between the groups there was no statistically significant difference regarding the social demographic variables. Self-reported hoarseness differentiated the groups (p=0,011) as well as laryngeal sensations such as strained speech (p< 0,001) and sore throat (p<0, 001). All of the domains in the VHI as well as its total score differentiated the groups (p<0, 001). When the questions of each domain of the VHI were analyzed, 13 of the 30 questions differentiated the groups, mostly those pertaining to the organic domain. Conclusion: There was a statistically significant difference between the presence of voice disorder and voice symptom hoarseness, and the laryngeal sensations of strained speech and sore throat, as well as the general score, functional, organic and emotional domains of the Voice Handicap Index
Palavras-chave: Distúrbios da voz
Docentes
Voz
Voice disorders
Faculty
Voice
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Mestre, Lhaís Renata. Voz do professor: relação entre avaliação perceptivo - auditiva, autorreferência a sintomas e índice de desvantagem vocal. 2012. 74 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11934
Data de defesa: 31-Jul-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lhais Renata Mestre.pdf1,04 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.