???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11857
Tipo do documento: Dissertação
Título: Emissões otoacústicas: produto de distorção em lactentes de até dois meses de idade
Título(s) alternativo(s): Distortion product otoacoustic emissions in infants from birth to two months old
Autor: Pinto, Vanessa Sinelli 
Primeiro orientador: Lewis, Doris Ruthy
Resumo: Introdução A emissão otoacústica-produto de distorção tem sido utilizada devido às suas características específicas de avaliar bandas de freqüências altas e de detectar perdas auditivas em estágios iniciais, sendo essencial na triagem auditiva neonatal e na bateria de testes que envolvem a avaliação audiológica infantil. Portanto, há uma necessidade de se estabelecer parâmetros para análise do registro das EOAPD em lactentes, com a finalidade de utilizá-los como critério clínico na avaliação audiológica. Objetivo Descrever os achados do registro das emissões otoacústicas-produto de distorção em lactentes de até dois meses de idade por meio da análise do nível de resposta, do nível de ruído e da relação sinal/ruído em todas as bandas de freqüências; da análise do nível de resposta em relação às variáveis: dias de vida, gênero, pico de pressão na timpanometria e estado do lactente durante o exame e da distribuição do percentil do nível de resposta. Metodologia Foram avaliados 138 lactentes, todos nascidos a termo, sem indicadores de risco para perda auditiva e que passaram na triagem auditiva. Os parâmetros utilizados para este registro foram: L1= 65 dBNPS e L2= 50 dBNPS no equipamento ILO292 Otodynamic. Resultados Foram avaliados 70 lactentes do gênero masculino e 68 do feminino, com idade variando de 6 a 65 dias de vida. As medianas do nível de resposta das EOAPD para cada freqüência (f2) foram de: 6,7 dBNPS para 1001 Hz; 11,5 dBNPS para 1257 Hz; 14,2 dBNPS para 1587 Hz; 14,2 dBNPS para 2002 Hz; 13,7 dBNPS para 2515 Hz; 13,7 dBNPS para 3174 Hz; 15,5 dBNPS para 4004 Hz; 16,3 dBNPS para 5042 Hz e 6,0 dBNPS para 6348 Hz. As medianas do nível de ruído para cada freqüência (f2) foram de: 4,9 dBNPS para 1001 Hz; 5,9 dBNPS para 1257 Hz; 6,0 dBNPS para 1587 Hz; -2,1 dBNPS para 2002 Hz; -12,5 dBNPS para 2515 Hz; -5,6 dBNPS para 3174 Hz; -8,9 dBNPS para 4004 Hz; -9,5 dBNPS para 5042 Hz e -4,4 dBNPS para 6348 Hz. As medianas da relação sinal/ruído para cada freqüência (f2) foram de: 1,5 dBNPS para 1001 Hz; 5,4 dBNPS para 1257 Hz; 7,7 dBNPS para 1587 Hz; 16,4 dBNPS para 2002 Hz; 18,9 dBNPS para 2515 Hz; 19,3 dBNPS para 3174 Hz; 24,2 dBNPS para 4004 Hz; 25,5 dBNPS para 5042 Hz e 10,5 dBNPS para 6348 Hz. Conclusões Houve uma tendência de diminuição do nível de resposta a partir dos 30 dias de vida. O pico de pressão na timpanometria definido por três grupos (entre -50 e +50 daPa; <-50 daPa e >+50 daPa) não influenciou no registro do nível de resposta. Não houve diferença estatisticamente significante entre gêneros e entre orelhas para o nível de resposta. O estado do lactente influenciou na relação sinal/ruído, sendo a melhor relação sinal/ruído no estado sono profundo. Os achados do percentil foram semelhantes aos encontrados na literatura. Portanto, para uma interpretação clínica, o percentil 5 pode sugerir perda auditiva e o percentil 95 pode sugerir audição dentro da normalidade, sendo os resultados entre esses dois percentis uma região de incerteza quanto às perdas auditivas
Abstract: Introduction The distortion product otoacoustic emission has been used because its specific features evaluate high frequencies and can identify hearing losses in initials stages. It is an important tool to neonatal hearing screening and test battery that includes audiologic assessment in infants. Therefore, there is a necessity to set up parameters to analyse DPOAE records in infants in order to be used as clinic criterion in audiologic assessment. Objective To describe the findings of DPOAE records in infants from birth to two months old, through analysis of response level, the noise level and the signal to noise ratio in all frequencies; the analysis of response level according to variables: age in days, gender, timpanometry pression peak, infant state during test and distribution of percentile from the response level. Methodology 138 infants were evaluated, being all full term, without risk indicators to hearing loss and who passed in hearing screening. The parameters used in this record were: L1= 65 dBSPL and L2= 50 dBSPL in equipment ILO292 Otodynamic. Results 70 male infants and 68 female infants were evaluated, with ages between 6 to 65 days. The medians from DPOAE level were: 6,7 dBSPL to f2 1001 Hz; 11,5 dBSPL to f2 1257 Hz; 14,2 dBSPL to f2 1587 Hz; 14,2 dBSPL to f2 2002 Hz; 13,7 dBSPL to f2 2515 Hz; 13,7 dBSPL to f2 3174 Hz; 15,5 dBSPL to f2 4004 Hz; 16,3 dBSPL to f2 5042 Hz e 6,0 dBSPL to f2 6348 Hz. The medians from the noise level were: 4,9 dBSPL to f2 1001 Hz; 5,9 dBSPL to f2 1257 Hz; 6,0 dBSPL to f2 1587 Hz; -2,1 dBSPL to f2 2002 Hz; -12,5 dBSPL to f2 2515 Hz; -5,6 dBSPL to f2 3174 Hz; -8,9 dBSPL to f2 4004 Hz; -9,5 dBSPL to f2 5042 Hz e -4,4 dBSPL to f2 6348 Hz. The medians from the signal to noise ratio were: 1,5 dBSPL to f2 1001 Hz; 5,4 dBSPL to f2 1257 Hz; 7,7 dBSPL to f2 1587 Hz; 16,4 dBSPL to f2 2002 Hz; 18,9 dBSPL to f2 2515 Hz; 19,3 dBSPL to para f2 3174 Hz; 24,2 dBSPL to f2 4004 Hz; 25,5 dBSPL to f2 5042 Hz e 10,5 dBSPL to f2 6348 Hz. Conclusions There was a tendency to decrease from the response level around 30 days of life, being more evident in 2002 Hz frequency (f2). The timpanometry pression peak defined by three groups (among -50 and +50 daPa; <-50 daPa and >+50 daPa) showed no influence on records from the response level. There was no statistically significant difference between genders and between ears to the response level. The baby state (light sleep, deep sleep and alert) had influence on signal to noise ratio in deep sleep state. The findings of percentile were similar to the ones found in the literature, therefore for clinical interpretation, the percentile 5 can suggest hearing loss and the percentile 95 can suggest a normal hearing, so the results of the two percentiles, a place uncertainty refering to hearing losses
Palavras-chave: emissões otoacústicas-produto de distorção
avaliação audiológica infantil
distortion product otoacoustic emissions
infant
audiologic assessment in infants
Emissoes otoacusticas
Audiologia
Avaliacao audiologica infantil
Lactentes
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Pinto, Vanessa Sinelli. Distortion product otoacoustic emissions in infants from birth to two months old. 2005. 116 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11857
Data de defesa: 23-Aug-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VanessaSinelliPinto.pdf2,16 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.