???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10815
Tipo do documento: Dissertação
Título: Pátria, nação, povo brasileiro na produção didática de Manoel Bomfim e Olavo Bilac: Livro de Leitura (1899) e Atravez do Brasil (1910)
Autor: Santos, Alexsandro do Nascimento 
Primeiro orientador: Bittencourt, Circe Maria Fernandes
Resumo: Esta pesquisa analisou a produção didática de Manoel Bomfim e Olavo Bilac, elegendo as obras Prática da Língua Portugueza Livro de Leitura para o Curso Complementar, de 1899 e Atravez do Brasil Livro de Leitura para o Curso Médio, de 1910. Na perspectiva dos estudos da História Cultural e partindo da compreensão do livro didático como produto cultural e um dos dispositivos acionados pelo Estado para a produção e disseminação de uma seleção cultural que, entre outras coisas, assinala memórias e identidades consideradas legítimas para a nação, investigou-se os contextos de produção e circulação dessas duas obras, delineando a sua inscrição na história das edições didáticas e no processo de institucionalização da escola no Brasil (final do século XIX e início do século XX) em que ganham relevo e agenda pública as disputas intelectuais em torno das narrativas sobre a Pátria , a Nação , e o em torno do binômio raça/povo brasileiro. As fontes privilegiadas durante a investigação, além das próprias obras, foram as biografias dos autores e suas bibliografias, as biografias do editor (Francisco Alves) produzidas por estudiosos do período, registros de escritores contemporâneos aos autores, especialmente os vinculados às suas redes de sociabilidades, (em auto-biografias ou equivalentes) periódicos e catálogos editorais, estudos e investigações acerca da história das edições didáticas no Brasil e sobre o debate em torno da questão racial que se estabeleceu como agenda pública no período. Para o tratamento das fontes, buscou-se estabelecer com o diálogo entre os registros e vozes presentes nos discursos, a fim de identificar seus pontos de similitude, contradição e compreensão mútua. A investigação concluiu que as obras foram produzidas e circularam no contexto de institucionalização da escola no Brasil em que os livros didáticos vão ganhando contornos específicos e, no campo do ensino da leitura, disputam a hegemonia quanto ao modelo formal, as antologias, as narrativas em livro único, os livros em série e os cadernos de atividade, sendo que a primeira das obras estudadas se enquadra no modelo de antologias e a segunda das obras se enquadra no modelo de narrativa em livro único. Concluiu, ainda, que o tratamento dado às questões de nacionalidade, pátria e raça/povo brasileiro nas duas obras apresenta uma narrativa legitimadora da Independência do Brasil como marco fundador da nação, não conferindo tratamento explicitamente elogioso ou mesmo recorrente à República, constrói e apresenta um território nacional sobretudo rico e valoroso do ponto de vista natural e também das construções do progresso (ferrovias, obras de infra-estrutura, indústrias), elege como modelar do povo brasileiro o tipo mestiço, preservando a distinção entre o mestiço sertanejo e o mestiço litorâneo, mas propondo uma interpretação desses dois tipos como momentos evolutivos da mesma nação e delineia um tratamento diferenciado para as matrizes negra/africana, indígena e portuguesa/européia na formação da nacionalidade brasileira em que a primeira é reconhecida como vítima da escravidão, mas valorosa por seu patriotismo, sua capacidade de trabalho e sua participação no processo civilizatório e a segunda é delineada como ingênua, belicosa, resistente à civilização, devendo, todavia, por ela ser conquistada
Abstract: This research examined the didactic production of Manoel Bomfim and Olavo Bilac, choosing the works Prática da Lingua Portugueza Livro de Leitura para o Curso Complementar (1899) e Atravez do Brasil Livro de Leitura para o Curso Médio (1910). In view of cultural studies and based on the understanding of the textbook as a cultural product and a device powered by the State for the production and dissemination of a cultural selection, which among other things, points out memories and identities considered legitimate for the nation, investigated are the contexts of production and circulation of these two works, outlining his entry in the history of teaching s editions and the process of institutionalization of the school in Brazil (late nineteenth and early twentieth century) in which gain prominence and public agenda in the intellectual struggles surrounding the narratives about the homeland , the nation and around the binominal race/Brazilian people. The privileged sources during the investigation beyond the works themselves were the biographies of the authors and their bibliographies, biographies of the editor (Francisco Alves) produced by scholars of the period, records of contemporary writers to authors, especially those tied to their networks of sociability (in autobiographies or equivalent) and catalogs editorials, studies and research on the history of teaching s editions in Brazil and the debate around the issue of race that established itself as the public agenda in the period. For the treatment of sources, we attempted to establish dialogue between the records and voices of the discourse in order to identify theirs points of similarity, contradiction and mutual understanding. The investigation concluded that the works were produced and circulated in the context of the institutionalization of school in Brazil where the textbooks have become more specific contours and in the field of teaching reading, vie for hegemony on the formal model, the anthologies, narratives in single book, books in series and the contract activity, and the first of the works studied fits the model and the second anthology of works fits into the narrative model into a single book. Concluded further that the treatment given to issues of nationality, country and race / Brazilians in the two works presents a narrative that legitimized the independence of Brazil as the nation's founding in march, not giving treatment, or even explicitly laudatory applicant to the Republic, builds and presents a territory particularly rich and valuable from the standpoint of natural and also the constructions of 'progress' (railroads, construction of infrastructure, industries), shall elect as a model of the Brazilian people the scrub type, preserving the distinction between the scrub and the backcountry coastal scrub, but proposing an interpretation of these two types as 'moments' evolution of the nation and outlines a different approach to arrays black / African, Indian and Portuguese / European in the formation of Brazilian nationality in which the first is recognized as a victim of slavery, but valuable for this patriotism, his ability to work and their participation in the civilizing process and the second is outlined as naive, bellicose, tough to civilization, but should it be earned
Palavras-chave: Livro didático
Leitura
Identidade nacional
Olavo Bilac
Manoel Bomfim
Didactic book
Reading
National identity
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Educação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade
Citação: Santos, Alexsandro do Nascimento. Pátria, nação, povo brasileiro na produção didática de Manoel Bomfim e Olavo Bilac: Livro de Leitura (1899) e Atravez do Brasil (1910). 2010. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10815
Data de defesa: 18-Aug-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alexsandro do Nascimento Santos.pdf1,17 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.