???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10453
Tipo do documento: Tese
Título: As formas identitárias nos contextos de trabalho: uma análise da profissionalidade docente
Título(s) alternativo(s): The identity forms in the contextsofwork: an analysis of the teacher professionality
Autor: Oliveira, Lúcia Matias da Silva 
Primeiro orientador: Giovanni, Luciana Maria
Resumo: Esta pesquisa tem por objetivo a construção de retratos sociológicos que recuperam processos de socialização, como método para a análise das interações que o professor realiza e de que modo elas potencializam suas disposições a partir do principio gerador do habitus para responder aos desafios do cotidiano na sala de aula e na escola, transformando nesse processo sua identidade docente nos contextos de trabalho. As hipóteses norteadoras foram pautadas em pressupostos que admitem a reconfiguração da identidade docente a partir das interações nos contextos de trabalho que o levam a assumir ações e atitudes oriundas de disposições dependentes do habitus. A pesquisa propôs-se a investigar esses elementos por meio da construção de retratos sociológicos de três professoras da educação básica para registrar suas trajetórias individuais; foram utilizadas entrevistas semi-estruturadas, planejadas de acordo com uma grade conceitual que permitiu a elaboração de um roteiro constituído por seis categorias: família, escola, trabalho, sociabilidade, lazer/cultura e corpo; cada professora respondeu a 160 questões em 37 horas de entrevistas. A coleta de dados foi realizada no segundo semestre do ano de 2012, após uma entrevista modelo para testar o instrumento de coleta construído. As professoras responderam ainda, a um questionário sócio-econômico que permitiu a caracterização dos sujeitos de pesquisa. A sustentação teórica da análise se pauta na lógica de que a construção social do sujeito se dá a partir do princípio gerador do habitus (BOURDIEU) que configura as disposições construídas em processo (LAHIRE) ao longo da trajetória de vida e trabalho e que respondem pelos intervenientes ligados às identidades profissionais (DUBAR). O levantamento bibliográfico realizado demonstra que os estudos realizados sobre o tema constatam a importância dos processos de socialização para constituição das identidades, toma as políticas educacionais como mecanismo para explicar a crise identitária e discute a formação e as práticas, para indicar os problemas vividos pelos professores no cotidiano da escola. Porém, não privilegiaram estudos na perspectiva sociológica, com foco na identidade e no sujeito para decifrar as estruturas dessa matriz de percepções e analisar como ela interfere na constituição das disposições. Os resultados apontam que as disposições construídas pelas professoras estão intimamente relacionadas com as estruturas constituintes do habituse que, embora possuam especificidades ligadas à interpretação singular que cada uma delas expressa nas suas ações cotidianas nos diferentes contextos de inserção profissional, elas decorrem desse princípio gerador. Por outro lado, essas disposições, acionadas num jogo de mostrar-ocultar para responder às demandas cotidianas, mostram uma tendência a manter as regularidades orientadas pelo habitus e promovem uma reconfiguração identitária com rupturas e mudanças pautadas em fracas e provisórias mobilizações. O estudo revela ainda que, o fato de a análise privilegiar o contexto de trabalho das professoras, implica o uso do termo formas identitárias , uma vez que a análise se limita a uma época histórica e a um tipo de contexto social, constituída por ações individuais e coletivas que respondem por construções sociais compartilhadas com todos que têm trajetórias homólogas, principalmente no campo profissional
Abstract: This work aims the construction of sociological portraits that restore processes of socialization, as a method for the analysis of the interactions the teacher performs and how they potentiate his/her dispositions from the generating principle of habitus in order to respond to the daily challenges in the classroom and the school, changing the teacher identity in the contexts of workin this process. The hypotheses were based in presupposition that admit the reconfiguration of the teacher identity from the interactions in the contexts of work which lead him/her to accept actions and attitudes that come from dispositions dependent of thehabitus. This work aims to investigate these elements by means of the construction of sociological portraits of three teachers from Primary School, registering their individual trajectories; semi-structured interviews were used, planned according to a conceptual grid that allowed the elaboration of guidelines constituted by six categories: family, school, work, sociability, leisure/culture and body: each teacher answered 160 questions in 37 hours of interview. The data collection was accomplished in the second semester of 2012, after a model interview to test the instrument built for the collection.The teachers also answered a social-economic questionnaire that allowed the characterization of the research subjects.The theoretical support of the analysis is based on the logic that the subject s social construction happens through the generating principle of habitus (BOURDIEU s) that configures the dispositions constructed in the process (LAHIRE s) through the life and work trajectory and that respond by the interveners linked to the professional identities (DUBAR s). The bibliographical search demonstrates that the studies related to the theme find the importance of the socialization processes for the constitution of identities, take the educational politics as mechanism to explain the identity crisis and discuss the formation and the practices, in order to indicate the problems faced by the teachers in the school routine. However, studies in the sociological perspectives were not privileged, focusing the identity and the subject to decipher the structures of this matrix of perceptions and analyze how it interferes in the constitution of dispositions. The results show that the dispositions constructed by the teachers are deeply related to the structures of the habitus and that, although they have specificities linked to the singular interpretation that each of them express in their daily actions in the different contexts of professional insertion, they elapse from this generating principle. On the other hand, those dispositions, when in a showing-hiding game to answer the daily demands, show a tendency to maintain the regularities oriented by the habitus and promote an identity reconfiguration with disruptions and changes based on weak and temporary mobilizations. The study still reveals that the fact that the analysis privilege the teachers context of work implicates the use of the term identity forms , once that analysis is limited to a historical period and to a certain type of social context, constituted by individual and collective actionsthat respond for social constructions shared with everybody who have had similar trajectories, mainly in the professional field
Palavras-chave: Habitus
Disposições
Formas identitárias
Contexto de trabalho
Profissionalidade docente
Habitus
Dispositions
Identity forms
Context of Work
Teacher professionality
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Educação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10453
Data de defesa: 27-Aug-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lucia Matias da Silva Oliveira.pdf1,63 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.