???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10410
Tipo do documento: Dissertação
Título: Experiência, escola e formação de crianças: estudo sobre o futebol escolar
Título(s) alternativo(s): Experience, and formation of school children: study on football school
Autor: Vieira, Álvaro José Camargo 
Primeiro orientador: Sass, Odair
Resumo: O estudo proposto tem como objetivo compreender, sob a perspectiva da Teoria Crítica Social, a experiência propiciada às crianças do ensino fundamental I pelo futebol escolar de salão e os comportamentos desencadeados por essa atividade competitiva. Pressupõe-se que o jogo é um meio de formação dos indivíduos, por proporcionar intensas experiências sociais. Considera-se, contudo, a sua ambiguidade, pois os participantes podem aderir a formas violentas de competição, ou podem compreender que o desejo de vitória não deve se sobrepor ao respeito pelos colegas de time e pelos adversários, desenvolvendo a solidariedade. As experiências dos indivíduos precisam ser consideradas historicamente, uma vez que não são imunes ao que acontece em sociedade. Formulou-se, como hipótese geral, que a prática do futebol, embora seja uma atividade que favoreça a experimentação e o aprendizado das relações sociais, no âmbito escolar, não consegue ampliar a percepção dos indivíduos sobre as relações sociais na sociedade e promover uma reflexão crítica. Adicionalmente, propõe-se como hipóteses derivadas: 1ª) a prática do futebol, tal como é realizada na escola, não estimula a experiência formativa, de respeito mútuo, solidariedade e tolerância; e 2ª) o futebol escolar pode propiciar a violência entre os indivíduos. Utilizouse, como método, protocolos de observação; testes sociométricos, visando à elaboração de sociogramas; e questionários propostos às crianças e aos professores. Constataram-se três tipos de comportamentos recorrentes em jogos de futebol: o de respeito e solidariedade entre os participantes da atividade; o violento, praticado por aqueles que agridem fisicamente, ou verbalmente, os colegas; e o de indiferença, ou frieza passiva, daqueles que não se posicionam diante da violência e da fragilidade de outras crianças. Verificou-se que as relações entre as crianças são pautadas pelo desempenho durante o futebol e em sala de aula, o que motiva a violência das exclusões e rejeições de estudantes durante as atividades. O preconceito e a discriminação podem motivar essa violência que antecede à própria atividade competitiva, portanto, não se pode afirmar que a barbárie tem como base exclusiva a competição
Abstract: The proposed study aim to understand, from the perspective of Critical Social Theory, the experience afforded to children in elementary school for football and behaviors triggered by this competitive activity. It s supposed that the game is an way of development because it provides intense social experiences it also considered, however, its ambiguity the participants can join violent forms of competition or can understand that the desire of winning should not exceed the respect to the colleague of the team and even the opponents, developing solidarity. The social experiences need to be considered historically, because they are not immune of what happens in society. It was established as a general hypothesis that football , although being an interesting activity as a mean of experimentation and learning of the social relationship at school its practice can t amplify the perception of individuals in society and can t promote critical reflexion. Additionally, it was proposed as derived hypothesis: 1st) football practice as it is realized at school doesn t encourage the formative experience of the mutual respect, solidarity and tolerance. 2nd) school football can provide violence among individuals. It was used as method observation protocols, sociometric tests in order to develop the sociograms elaboration and questionnaires directed to children and teachers. Found three types of recurring behaviors in football game: the respect and solidarity among the participants of the activity, the violent, practiced by those who attack physically or verbally colleagues, and the indifference or passive coldness, those who do not position themselves in the face of violence and fragility of other children. It was found, too, that the relationship between children are guided by performance during the football and in the classroom, what motivates the violence of exclusion and rejection of students during activities, and also, that prejudice and discrimination can motivate this violence that precedes the competitive activity, so we can not say that violence is based only in the competition
Palavras-chave: Formação de crianças
Futebol escolar
Teoria crítica da sociedade
Formation of children
School football
Critical theory of society
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Educação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade
Citação: Vieira, Álvaro José Camargo. Experience, and formation of school children: study on football school. 2013. 159 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10410
Data de defesa: 31-Jul-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política Sociedade

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alvaro Jose Camargo Vieira.pdf2,06 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.